Orquestra Sem Fronteiras estreia em Idanha-a-Nova

O Centro Cultural Raiano em Idanha-a-Nova, recebe na próxima sexta-feira (21h00), o espectáculo de estreia da recém-criada Orquestra Sem Fronteiras, com entrada livre.

Apresentam-se em palco 42 jovens músicos provenientes de oito escolas de Portugal e Espanha, dirigidos pelo maestro Martim Sousa Tavares. A Orquestra Sem Fronteiras constitui um projecto inovador na Península Ibérica, nomeadamente no contexto raiano, e visa proporcionar oportunidades a jovens músicos que pretendam fixar-se no interior, para que não tenham de deslocar-se para os grandes centros urbanos, ou para o estrangeiro, para desenvolverem a sua actividade profissional.

A Orquestra Sem Fronteiras constituiu-se legalmente como Associação Sem Fins Lucrativos, com sede em Idanha-a-Nova, Cidade Criativa da Música da UNESCO, juntando-se assim a outros projectos musicais e culturais que desenvolvem um trabalho de grande valor no concelho.

A distinção atribuída a Idanha-a-Nova pela UNESCO em 2015, como Cidade Criativa da Música, revelou-se determinante para a captação deste novo projecto. Esse reconhecimento ao mais alto nível tem gerado extraordinárias oportunidades de cooperação numa plataforma global, por ampliar a notoriedade internacional do património musical de Idanha-a-Nova e da vivência singular que a música proporciona neste território rico em cultura e criatividade.