Marcha lenta na EN18 contra as portagens

Está marcada para esta sexta-feira, uma marcha lenta na Estrada Nacional 18, com partida das cidades da Covilhã e de Castelo Branco.

O protesto tem dois pontos de partida: as cidades de Castelo Branco e da Covilhã, que irão confluir na rotunda da Lardosa. Na Covilhã, o início está previsto para 15h30 no Jardim das Artes. Na cidade de Castelo Branco, o ponto de encontro é  junto ao Campo de Futebol, pelas 16 horas, seguindo pela EN18, em direcção à Lardosa.

Em comunicado a Plataforma P’la Reposição das Scut’s na A23 e A25 afirma que espera “uma forte mobilização da comunidade local em torno de uma questão que afecta a todos, residentes e quem nos visita, trabalhadores e empresas, e que põe em causa o próprio desenvolvimento económico e social da região”.

No Fórum Público realizado no passado mês de Março na cidade da Covilhã, a Plataforma Conjunta de Entendimento para a Reposição das Scut na A23 e A25 decidiu avançar com várias acções de protesto marcadas para este mês de Abril. "Depois dos pedidos de reunião sem resposta, das moções e perguntas sem efeito prático", a luta contra as portagens regressa à estrada.

A mais mediática ainda não tem dia marcado, mas será realizada em Lisboa e à porta da residência oficial do primeiro-ministro. A comissão organizadora espera grande adesão, até porque já lançou o desafio público às 21 Câmaras da região (que integram as duas comunidades intermunicipais) para que apoiem esta luta. A ideia é que cada autarquia disponibilize pelo menos um autocarro.

Em dia também a definir, a marcha lenta irá incidir no percurso Vilar Formoso/Guarda e segue depois no sentido Guarda/Covilhã, sempre a passo de caracol pela EN 18, uma das estradas que tem sido “vítima” da fuga às portagens. O objectivo destas acções é o de "mostrar que tal via não é, nem nunca foi, alternativa às vias que antes não tinham custos para os utilizadores".

Convento Belmonte

Convento de Belmonte

Radio Caria no Facebook