"Senti-me um pouco excluído, não só eu, mas a Comunidade Judaica de Belmonte”

Três rabinos ligados a Portugal formaram um comité polémico, isto porque o rabino da Comunidade Judaica de Belmonte foi excluído do núcleo duro.

Na notícia divulgada pela SIC, Elisha Salas disse que “na verdade, primeiro apanhou-me de surpresa porque não sabia de nada, depois senti-me um pouco excluído, não só eu, mas a Comunidade Judaica de Belmonte”. O rabino da Comunidade de Belmonte afirma que “neste momento em Portugal não existe nenhuma autoridade que possa determinar uma Halachá, ou lei judaica, porque não é necessário. Estamos em constante contacto com Israel, somos assessorados por rabinos de Israel, e eu, que estudei numa yeshivá, em Jerusalém, quando tenho uma dúvida ou uma situação por clarificar, tenho sempre o meu rabino que me orienta, como temos feito todos os anos em que aqui estamos”.

Por isso, Elisha Salas acrescenta que “não existe uma autoridade máxima em Portugal. Se vier uma pessoa assumir esse cargo, essa pessoa teria de ser eleita pelos quatro rabinos que estão à frente, e os quatros decidiriam quem iria representar esse comité, mas em caso algum um rabino é superior a outro rabino. Isso não existe no judaísmo. No judaísmo não há pirâmides, existe uma ordenança linear, na qual cada rabino trabalha na sua comunidade, de acordo com as necessidades desta”.

Havendo em Portugal apenas três Comunidades formais porque é que a Comunidade Judaica de Belmonte ficou fora da formação deste comité?

Confrontado com esta situação, o presidente da Câmara de Belmonte, que é também o presidente da Rede de Judiarias de Portugal, disse à Rádio Caria que está a par do assunto, mas ficou surpreendido, “como é que é possível que se deixe a Comunidade Judaica de Belmonte para trás. As outras comunidades podem ter mais elementos, mas não há nenhuma comunidade em Portugal que tenha sete séculos de existência como tem a nossa. E portanto, a outras comunidades têm de ter respeito por aquilo que existe em Belmonte”.

Um processo muito estranho acrescenta António Dias Rocha “não percebo, havendo quatro rabinos em Portugal, que o rabino de Belmonte fique para trás. Se têm alguma queixa que a demonstrem. Se cada um deve assumir as suas responsabilidades e saber colocar-se, eu como presidente da Rede de Judiarias choca-me, mas como presidente da Câmara de Belmonte, tendo a Comunidade Judaica de Belmonte mais representativa do criptojudaismo europeu, acho muito estranho e penso que a minha comunidade Judaica não está satisfeita”.

Na qualidade de presidente da Rede de Judiarias de Portugal, António Dias Rocha ficou surpreendido e até chocado com o facto de Belmonte ter ficado fora do processo de constituição de um comité com três rabinos ligados a Portugal, tendo o rabino da Comunidade Judaica de Belmonte ficado excluído do núcleo duro.

O comité é constituído pelo rabino da Comunidade Israelita de Lisboa e secretário-geral do comité, Natan Peres, pelo rabino da Comunidade Israelita do Porto, Daniel Litvak, e pelo rabino e director da Associação Chabad Portugal, Elyahu Rosenfeld.

Radio Cario no Facebbok

Convento Belmonte

Convento de Belmonte