Condenada a 18 anos de cadeia

A mulher de 46 anos acusada de matar o filho de 10 anos, em Setembro de 2017 na residência da família da arguida, no lugar de Catraia do Sortelhão, freguesia de Santana de Azinha, no concelho da Guarda, foi condenada pelo colectivo de juízes do Tribunal da Guarda, a 18 anos de prisão pela prática, em autoria material e na forma consumada, de um crime de homicídio qualificado.

Segundo a decisão, durante o julgamento foi provado que a arguida, que padece de doença psiquiátrica agiu de forma livre, deliberada e consciente, com o propósito concretizado de matar. Dentro da moldura penal de 12 a 25 anos de prisão, o Tribunal da Guarda decidiu aplicar 18 anos, uma vez que a favor da arguida pesaram a ausência de antecedentes criminais e “encontrar-se inserida socialmente e ter confessado integralmente os factos” de que estava acusada.

O crime ocorreu no dia 12 de Setembro de 2017 quando a mulher, que sofria de depressão, decidiu matar o filho, asfixiando-o com um cachecol, tomando comprimidos para também colocar termo à própria vida. No dia do crime a mulher foi internada no serviço de psiquiatria da Unidade Local de Saúde da Guarda e só teve alta em 19 de Outubro de 2017, quando foi detida pela Polícia Judiciária da Guarda.

Radio Cario no Facebbok

Convento Belmonte

Convento de Belmonte