Idanha-a-Nova aposta no Apoio Alimentar

A Câmara Municipal de Idanha-a-Nova participou no primeiro encontro do Programa Operacional de Apoio às Pessoas Mais Carenciadas que integra 41 autarquias que figuram entre as 600 entidades coordenadoras e mediadoras a nível nacional.

Um programa que chega a 80 mil pessoas em todo o país, em regra desenvolvido por entidades privadas, e que visa contribuir para tornar a distribuição de apoio alimentar mais eficaz e eficiente. Na qualidade de entidade mediadora, a Câmara de Idanha-a-Nova, a partir do seu Banco Social, gere uma média de três toneladas mensais de alimentos contribuindo para o apoio alimentar directo a cerca de 82 beneficiários, integrados em 28 agregados familiares.

Além da entrega dos cabazes alimentares, a autarquia promove também o acompanhamento das famílias através de uma equipa técnica, seja mediante intervenção directa, seja na dinamização de sessões para grupos de beneficiários, relacionados com temas como a gestão do orçamento familiar, a importância da selecção de géneros alimentícios, a confecção de receitas saudáveis e a prevenção do desperdício alimentar.

Para levar a cabo estas sessões, a Câmara de Idanha-a-Nova tem contado não só com os recursos humanos da própria autarquia, mas também com a parceria da Escola Superior de Gestão de Idanha-a-Nova e da associação da Defesa do Consumidor (DECO).

Em relação ao seu Banco Social, a autarquia beneficia também, no âmbito de protocolo, de apoio do Banco Alimentar, através do qual apoia 103 beneficiários, correspondentes a 38 agregados familiares. Contabilizando as duas fontes, é disponibilizado um total de apoio regular mensal alimentar a 185 beneficiários finais, integrados em 66 agregados familiares.

O primeiro encontro do Programa Operacional de Apoio às Pessoas Mais Carenciadas decorreu este mês em Santarém, teve como objectivo principal efectuar um balanço da execução do programa e delinear as suas perspectivas futuras.

Radio Cario no Facebbok

Convento Belmonte

Convento de Belmonte