"Há aqui um grau de compromisso que se eleva a partir deste momento"

O líder do PSD em Belmonte ficou surpreendido com o anúncio da distribuição de pelouros por todos os elementos do executivo, tornada pública na passada quinta-feira, na reunião privada da Câmara de Belmonte.

Recordo-lhe que os dois vereadores eleitos pela Coligação PSD/MPT passam ter pelouros no executivo. Amândio Melo passa a exercer funções a meio tempo com os pelouros da gestão dos recursos humanos dos serviços municipais, parques, jardins, limpeza, manutenção das redes viárias, gestão do património cultural e turístico e ainda com o pelouro da educação. Já Luís António Almeida vai ficar responsável pela relação com entidades ligadas à justiça e pela ligação com colectividades e associações.

Questionado sobre o assunto, Luís D’ Elvas mostra-se surpreendido com a situação e garante que a concelhia não teve qualquer conhecimento prévio de que os vereadores eleitos pela coligação iriam passar a ter pelouros atribuídos “devo confessar-lhe que essa atribuição de pelouros e de meio tempo ao vereador Amândio Melo é para mim uma surpresa total. Nem a comissão política nem eu próprio fomos abordados nesse sentido nem tão pouco esse assunto foi motivo de abordagem durante a candidatura e no convite feito a Amândio Melo para que encabeçasse a lista do PSD/MPT nas últimas eleições autárquicas”.

O presidente da concelhia do PSD de Belmonte acrescenta que este cenário nunca foi equacionado na última campanha eleitoral e rejeita a ideia de uma quebra de compromisso com Amândio Melo “foi uma questão que nunca se equacionou e por isso o vereador Amândio Melo não está a violar nenhum acordo estabelecido connosco. Trata-se de um independente que encabeçou as nossas listas e este assunto não foi tido em conta. É uma decisão pessoal que ele justifica com a sua posição de munícipe e de pessoa interessada com as questões do concelho e que apenas a ele diz respeito. É uma posição individual que respeitamos”.

Ainda assim, o líder do PSD em Belmonte, refere que houve compromissos políticos assumidos com o vereador Amândio Melo e está em crer que Amândio Melo é uma pessoa de palavra ”houve compromissos políticos assumidos com o vereador Amândio Melo que, a seu tempo, haveremos de tentar cumprir. Esses foram verdadeiramente assumidos por ambos e aguardamos serenamente por isso. Estamos em crer que Amândio Melo é uma pessoa de palavra e que, em tempo, esses compromissos serão cumpridos e que ele vai cumprir a sua palavra”.

O líder da concelhia do PSD de Belmonte sublinha que ainda não teve oportunidade de dialogar com os vereadores depois desta tomada de decisão, mas admite que a situação pode trazer dificuldades ao desenvolvimento da actividade política do PSD no concelho “estaria a mentir se lhe dissesse que não. Há aqui um grau de compromisso que se eleva a partir deste momento. O comprometimento dos vereadores da oposição com a acção do executivo passa para outro nível e haverá aqui um campo político que fica menorizado. De qualquer forma havemos de encontrar uma plataforma de entendimento que permita não defraudar as pessoas que acreditaram em nós, que as pessoas não se sintam defraudadas com os políticos e com a política, nomeadamente garantindo que há uma visão diferente dos problemas naquilo que são os órgãos municipais como o executivo, a assembleia municipal e as assembleias de freguesia”.

Luís D’ Elvas garante que o assunto vai ser abordado na próxima reunião da Comissão Política do PSD de Belmonte.

Radio Cario no Facebbok

Convento Belmonte

Convento de Belmonte