Pedro Marques “um dos piores ministros do Governo”

A vila de Alcains recebeu, no passado fim-de-semana, o fórum “Democracia(s) XXI”, organizado pela JSD Distrital de Castelo Branco, que contou com 13 oradores distribuídos por oito painéis temáticos.

Durante a sessão de abertura, o Presidente da Distrital da JSD, Hugo Lopes, frisou a importância do debate e do conhecimento, realçando "o caminho que a estrutura tem percorrido, o ideal do projecto-piloto desta iniciativa e ainda os principais problemas e desafios que assolam a Beira Interior, deixando aos participantes o repto de lhe fazerem chegar as suas propostas para as eleições europeias e legislativas".

Manuel Frexes, Presidente do PSD Distrital, criticou Pedro Marques por ter sido “um dos piores ministros do Governo”. Referiu ainda que o actual candidato do PS às europeias “nunca se preocupou com o interior”.

A Presidente da JSD, Margarida Balseiro Lopes, também atacou Pedro Marques por ser o “campeão das fake news” e por promover obras que nunca cumpriu. Na sua intervenção, a também Deputada do PSD realçou a importância de aumentar o apoio social para estudantes carenciados e do pagamento das bolsas “a tempo e horas”.

O Vice-Presidente do PSD e ex-Secretário de Estado, Manuel Castro Almeida, criticou o Governo no que toca à gestão dos fundos europeus, que diz “foram mal utilizados e não serviram para aproximar Portugal da Europa”. Denunciou ainda a utilização dos mesmos para financiar o Orçamento de Estado, algo que entende ser “inaceitável e desonesto”.

Ao almoço, Paulo Rangel (foto) mostrou reservas quanto ao facto de não existir um estudo de impacto do Brexit na economia nacional. Criticou a “gestão ruinosa” de Pedro Marques na pasta dos Fundos Europeus, assinalando que os novos quadros vão prejudicar Portugal.

Álvaro Amaro, Presidente da Câmara Municipal da Guarda, esteve com Carlos Maia, ex-Presidente do IPCB, num espaço dedicado à coesão territorial. O primeiro defendeu a regionalização e destacou a perícia dos municípios que são, no seu entendimento, os responsáveis pelo pouco investimento público que se vai realizando.

Já o ex-Presidente do IPCB destacou o problema da demografia, criticou a redução do desemprego a nível nacional por via do aumento da precariedade, defendeu as Instituições de Ensino Superior que “fazem bem o seu trabalho” e desafiou o poder político a fazer o seu papel que é o de criar condições para fixar os jovens no interior.