Bispo da Guarda quer "responder às necessidades imediatas"

A vaga de incêndios do último domingo "deixou muito sofrimento espalhado pelas nossas terras" diz o Bispo da Guarda numa nota pastoral.

"Perderam a vida quatro pessoas residentes dentro da nossa Diocese e pelo menos mais uma também morreu, quando fugia do fogo, a partir de uma das nossas paróquias. Rezamos pelo eterno descanso destas cinco pessoas, duas das quais (marido e esposa que deixaram filhos menores) já acompanhei ao cemitério, depois de presidir à missa de corpo presente".

Mas os dramas não se ficam por aqui, "contactei pessoas que perderam a casa e praticamente tudo o que tinham lá dentro. Outra que perdeu o ganha pão – o tractor com que trabalhava. Sei de outras que perderam os animais que eram o seu sustento; outras ainda ficaram com alguns animais, mas agora, com tudo ardido, não têm de lhes dar de comer".

É de facto muito o sofrimento gerado pelo drama dos incêndios. "Queremos agora ajudar as pessoas, respondendo para já às suas necessidades imediatas, com o é o caso de falta de roupa para vestir, de alimentos indispensáveis, de fogão e gás para os cozinhar ou alguma ração para os animais".

O Bispo da Diocese da Guarda pede à Cáritas Diocesana para, em colaboração com os párocos, "identificar este tipo de necessidades imediatas e lhes responder no imediato. Para isso e para já, dispõe de um fundo de maneio, no valor de cinco mil euros. Esta importância obviamente não chega para responder às necessi­dades e, por isso, peço a generosidade das pessoas em geral para, com os seus donativos, poderem engrossar este fundo em ordem a podermos responder a todas as necessidades mais urgentes".

Os donativos devem ser dirigidos à Cáritas Diocesana da Guarda, quinta de Nossa Senhora do Mileu, 6300-586 Guarda. "Em nome de quantos sofrem as consequências do drama dos incên­dios, agradeço a generosidade dos donativos", refere D.Manuel da Rocha Felício, numa nota pastoral.

Convento Belmonte

Convento de Belmonte

Radio Caria no Facebook