Nos 40 anos da subida à Senhora da Graça foi Raúl Alarcón a festejar com V… de Vinhas.

https://scontent.fopo1-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/38949146_2093599160692314_4253700799248465920_n.jpg?_nc_cat=0&oh=7506b17094b3903f0f25a640b969838e&oe=5C02A9A2

Mal cortou a meta, Raúl Alarcón lançou para o ar as mãos e com os dois indicadores fez um “V”. Numa etapa onde o ciclista natural da Guarda, David Rodrigues, viu uma fuga solitária com 70 quilómetros chegar ao fim a 250 metros da meta. 

Não foi o símbolo de vitória mas o gesto tinha dedicatória especial. "Foi um “V” de Vinhas por tudo o que passou, pelo esforço que está a fazer, ao não abandonar a Volta. Tinha de lhe dedicar este triunfo. É uma vitória também para os meus colegas, mas especialmente para o Vinhas, o meu “irmão", explicou

Alarcón homenageando o companheiro Rui Vinhas que apesar da queda violenta na quinta etapa continua em prova. "Foi uma etapa muito bonita. No final tinha de vencer pelos meus colegas, por todo o trabalho que têm estado a fazer. Obrigado por tudo", acrescentou o espanhol afirmando que a W52-FC Porto ainda irá tentar ganhar também por equipas, cuja liderança está segura apenas por dois segundos pelo Sporting-Tavira.

Faltavam apenas 250 metros para o fim da subida ao Monte Farinha, em Mondim de Basto, quando o ciclista natural da Guarda, David Rodrigues (Radio Popular-Boavista), viu uma fuga solitária com 70 quilómetros chegar ao fim porque Raúl Alarcón (W52-FC Porto) demonstrou novamente que está muito forte. "Faltaram algumas forças no final e talvez um pouco mais de sorte. Tive um pouco de azar porque se estava a discutir a Volta mas foi um bom dia de ciclismo", disse David Rodrigues que viu o triunfo esfumar-se nos últimos instantes da etapa.

David Rodrigues chegou a rondar com quatro minutos de vantagem mas a diferença esfumou-se a cada metro da última subida. Atrás, Alarcón disparou e, em menos de 500 metros, deixou os adversários para trás e foi buscar aquele que estava a ser o herói da etapa.

O espanhol aumentou a distância para a concorrência, o que lhe dá uma margem mais confortável para o último dia de competição, o contrarrelógio de 17,3 quilómetros que vai encerrar este domingo em Fafe, a 80ª edição da Volta a Portugal.

Radio Cario no Facebbok

Convento Belmonte

Convento de Belmonte