"Uma prova que todos querem ganhar"

https://scontent.flis5-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/56171701_2425452130840347_5614856981383741440_n.jpg?_nc_cat=108&_nc_ht=scontent.flis5-1.fna&oh=215de92fe836692313827af7f319efd3&oe=5D4B4948

A vila de Belmonte recebeu esta segunda-feira a apresentação da quarta edição do Grande Prémio Beiras e Serra da Estrela.

Pelo quarto ano consecutivo, a região irá ter uma prova internacional de ciclismo disputada em todo o seu território, entre 12 e 14 deste mês, com a presença de 18 equipas, nove das quais portuguesas. Trata-se de uma prova inscrita no calendário da União Ciclista Internacional (UCI) e reservada a atletas da categoria Elites e Sub23.

Carlos Pereira, director da prova, destaca a qualidade do pelotão e do percurso “não haverá etapas fáceis neste Grande Prémio", onde todos os ciclistas “quererão ganhar face à importância da prova nos calendários da Federação Portuguesa de Ciclismo e da UCI. Uma prova que todos querem ganhar, mas a grande luta será entre os ciclistas portugueses apesar da qualidade de algumas equipas estrangeiras”, como acrescentou o director da prova.

O Grande Prémio Beiras e Serra da Estrela tem o mesmo escalão da Volta a Portugal em Bicicleta, “o que dá notoriedade e um interesse extra ás equipas presentes” como destacou Sérgio Sousa, em representação da Federação Portuguesa de Ciclismo.

A quarta edição do Grande Prémio Internacional Beiras e Serra da Estrela visa utilizar o ciclismo como "um importante veículo de promoção e divulgação" da região das Beiras e Serra da Estrela. Trata-se de uma prova promovida pela Associação de Municípios da Cova da Beira com um custo de 210 mil euros.

"Os três dias de prova foram desenhados para que percorra todo o território abrangente dos 16 Municípios envolvidos no evento, que conta com uma grande envolvência na relação transfronteiriça, estando já em análise a proposta de, na próxima edição, ser realizada uma etapa na província espanhola de Salamanca", como destacou o Secretário Geral da Associação de Municípios da Cova da Beira, José Manuel Biscaia.

Ao captar para o seu território uma prova internacional que junta os melhores ciclistas do pelotão internacional, a Associação de Municípios da Cova da Beira em parceria com a Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela e o Turismo do Centro de Portugal, vislumbra "uma oportunidade de aprofundar e divulgar a região no contexto europeu". Pedro Machado, presidente do Turismo Centro de Portugal, afirma que esta "é uma prova de sucesso, o turismo desportivo é um valor acrescentado" a uma marca que o Turismo Centro de Portugal quer continuar a promover.

Na qualidade de presidente da Associação de Municípios da Cova da Beira, António Dias Rocha também acredita que "vale a pena continuar a apostar neste tipo de iniciativas e no sucesso desta edição até porque o ciclismo é uma modalidade do povo”.

A quarta edição do Grande Prémio Internacional Beiras e Serra da Estrela terá um pelotão constituído por 18 equipas, nove das quais estrangeiras vindas da Irlanda, Israel, Estados Unidos da América, Rússia, Holanda, Bahrein, Letónia, Polónia e Paraguai. Serão percorridos cerca de 530 quilómetros divididos por três etapas com seis prémios de montanha e seis metas volantes.

A primeira etapa no dia 12 de Abril, de ligação entre Vilar Formoso e Pinhel (155,6km). A segunda etapa (13 Abril) de ligação entre Manteigas e Fundão (197,5km). A terceira e última etapa (14 Abril), a etapa rainha ligará Celorico da Beira à Covilhã (177,4km) com passagem pela Torre.